Thursday, April 03, 2008

25 DE ABRIL/CONCURSO LITERÁRIO: 30 POEMAS PARA COMEMORAR A REVOLUÇÃO DOS CRAVOS

VOO LIVRE

Liberdade não há, se eu não pensar,
se, em pensamento, não me libertar
dos pensamentos feitos,
se não me libertar
da liberdade que para mim fizeram.

Liberdade não há, fora de mim.
Dentro de mim,
é tão livre quanto eu for
apesar da liberdade que me prende.

A minha liberdade
não é permitida nem imposta
como aquela que fizeram
antes de mim, para eu vestir, para eu usar.
Liberdade só é dentro de mim,
apesar de mim, embora me deixe estar.

A liberdade que não há fora de mim
é um caminho aberto sobre o mar,
é um voar insano, só, liberto
se eu voar, voar até ser certo
cair do alto do meu voo sem sorte
para a morte,
onde os pensamentos, as almas, os momentos
não se deixam tolher nem agarrar.

MADALENA HOMEM-CARDOSO

1 comment:

Madalena said...

Exmo. Senhor:

Como não costumo "googlar-me" a mim mesma, mas hoje fi-lo por uma razão fortuita, calhou aperceber-me da inclusão neste "blog" de umas coisas que escrevi em tempos... Se bem me recordo, tratou-se de correspondência dirigida à Câmara Municipal de Alcobaça, no âmbito de um certame que descambou numa bizarra amnésia da edilidade para o facto de o ter publicitado e, dessa forma, induzido em erro os (pelos vistos, alguns) participantes... Desconheço como poderão ter chegado às suas mãos, mas mais estranho certamente será que tenha presumido poder dispor dos mesmos sem prévia autorização, ainda que informal, por mera questão de cortesia, já para não falar em propriedade intelectual ou Direitos de Autor. Não me refiro a retribuições pecuniárias, evidentemente, nem a qualidade dos textos teria mérito para tal. Refiro-me, isso sim, a que a exposição pública de ideias, textos ou outras produções artísticas, associadas ao nome de quem lhes deu forma, é uma decisão que pertence ao próprio. No presente caso, creio que se trata, em bom rigor, também de violação de correspondência, pois V. Exa. não se identifica como representante da (ou mandatado pela) Câmara Municipal de Alcobaça, entidade a que os textos publicados foram, há muitos anos, por mim remetidos, sem qualquer "feedback" posterior, aliás... Fico a aguardar resposta às questões suscitadas para este meu endereço de correio electrónico: madalenahc@gmail.com
Sem mais assunto, atentamente,

Madalena Homem Cardoso