Sunday, May 03, 2009

ROSA, ESPERANÇA: UM ESPECTÁCULO E UMA EXPOSIÇÃO, AGORA EM ALCOBAÇA

Um Cine-Teatro de Alcobaça completamente lotado acolheu ontem à noite um espectáculo em que a arte muito sabedoramente se alia à pedagogia. Chama-se Rosa, Esperança e apenas aqui se poderá escrever que não desiludiu o seu público nem um milímetro... Contudo, Rosa, Esperança não é só esse enleante espectáculo e essa união de arte, entrega e dedicação a uma causa, sendo também uma exposição fotográfica alusiva àquele espectáculo que acompanha e potencia o evento. Rosa, Esperança, é uma exposição surgida de uma parceria entre a oficina de artistas Quem Não Tem Cão e a Oficina da Imagem, incluindo trabalhos de autoria dos seguintes fotógrafos: Cláudia Costa, Gonçalo Barriga, Joaquim Machado, Jorge Brás, Jorge Tiago, Liliana Assunção, Luíz Amaro, Marta Soares, Martim Santos, Nuno César, Raul Gonçalves, Sandra Marques, Tiago Fonseca e Tiago Reis. A exposição Rosa, Esperança está patente desde a passada sexta-feira, em Alcobaça, no não menos sedutor espaço da Escola Adães Bermudes e trata-se, sem dúvida, de uma exposição a ter muito em conta. É de ir!

11 comments:

Nela said...

Muito obrigada pelo comentário sobre a Rosa, Esperança. Foi muito reconfortante ver o Cineteatro de Alcobaça ao nosso lado na passagem desta mensagem.

As palmas são um prémio que nos deixa muito feliz após o esforço que fazemos em levar este projecto por diante à custa do nosso descanso. Mas nada se compara ao que sentimos quando, no fim da peça, recebemos cumprimentos de uma senhora que nos diz que esteve a meditar sobre o que dissemos e verificou que não tinha "passado esta mensagem" à sua filha e que rapidamente o vai fazer.

É isto que nos move! Porque é isto que vai alterar os números das estatísticas do cancro da mama.

Muito obrigada.

José Alberto Vasco said...

Eu é que tenho de agradecer. Pela vossa coragem e pelo vosso empenho numa causa que, infelizmente, quase nos toca a todos. Muitos parabéns também pela qualidade do trabalho artístico, praticamente exemplar ao nível cénico, de figurinos e até pelo grafismo, que quase nos fizeram esquecer que em palco estavam apenas actores amadores. Não desistam! O meu blogue estará sempre ao vosso lado: poderão enviar qualquer informação para javasco@sapo.pt - um abração de felicidades para todos

Paulo Azevedo said...

Boa noite! Também lhe agradeço o comentário e a divulgação deste projecto, de que sou apenas um "apêndice" - muito orgulhoso, é verdade -, de tudo o que se tem passado à nossa volta. A minha mulher já o referiu acima, e eu também o saliento, as palmas e a reacção do público são um motor impressionante para querermos continuar este projecto, mesmo em detrimento do nosso descanso, esperando que se consiga, de facto, alterar os números das estatísticas do cancro da mama.
Um abraço e as maiores felicidades!

Turismo said...
This comment has been removed by the author.
Cristina J. said...

E mais um "muito obrigado" da minha parte.

Quando lemos isto, e percebemos que a mensagem foi passada e o nosso trabalho de equipa resultou em palco... os medos (tantos!) e os esforços ficam tão pequenos...

"Rosa, Esperança" vai voltar. E a força que tem recebido de comentários como este e os que se ouvem no final de cada espectáculo, só pode fazer com que volte com vontade de ser melhor.

Obrigada, mais uma vez!

Alda said...

Mais um muito obrigada. Foi muito emocionante para mim vir representar à Cidade que me viu nascer, e sentir tanto calor humano da parte do público.

Ver reconhecido todo o nosso esforço, e sentir que a mensagem passa é sem dúvida a melhor recompensa que podemos ter! Queremos continuar a divulgar este projecto por todo o nosso País.

Felicidades.

José Alberto Vasco said...

Paulo, Cristina e Alda, muito obrigado pelos vossos comentários. A luta continua e aqui vos deixo o desafio, sugerindo-vos a apresentação da Rosa, Esperança nas vossas Sintra, Charneca da Caparica e Caldas da Rainha... Se todos procederem assim, aquela mensagem de arte e pedagogia vai continuar a dar cartas por esse país fora. Garanto! (e este blogue pode dar a sua modesta contribução ajudando a divulgar todas essas apresentações). Um abraço forte do José Alberto...

tó vieira said...

Parabéns pelo blogue e obrigado pela divulgação deste projecto que tanto, e bem, está a dar que falar e que eu acompanho com a minha máquina fotográfica desde o início. Faltei a Alcobaça por razões de força maior (leia-se férias) mas continuo a documentar em fotografia todos os passos desta peça. pode visitar-me em
www.fotoesperanca.blogspot.com

PS: vi que tb é fã do grande manuel joão vieira e sus muchachos. bem haja!

Henrique said...

Confesso que não tenho por habito fazer comentários em blogues mas desta vez não podia deixar de o fazer.
Devido ao facto de trabalhar em produção de espectáculos passei por acaso no cineteatro de Alcobaça para por a conversa em dia quando me deparei com o ensaio do projecto Rosa Esperança que seria representado nesse mesmo dia a noite.
Senti de imediato que teria que ficar para a noite! Fiquei no meio dos meus colegas técnicos e durante a peça senti como eles uma grande emoção de estar nessa noite mágica.
Senti ainda que aquelas actrizes e actores vão ficar guardados na minha memória devido a coragem e a força que tiveram para lutar contra a doença e para montar esta peça simplesmente genial de me deixou (deixa) a pensar!..
Parabéns!
Henrique Bértolo

José Alberto Vasco said...

Caro Tó Vieira. Muito obrigado pelo seu comentário pelas suas palavras. Já tinha visitado o seu excelentísimo blogue há alguns dias e até lá deixei um comentário. Quanto ao grande Manuel João, é como com o 25 de Abril: sempre! Muitas vezes ele actuou em Alcobaça, no Bar Ben, durante a década de 1990, ai que saudades...

José Alberto Vasco said...

Olá Henrique! Tudo bem? Muito obrigado por este blogue ter recebido a rara honra de um teu comentário. Subscrevo claramente o que escreveste e penso que esta representação deveria ser exibida mais vezes, por todo o país, não só pela mensagem mas também pela qualidade com que a mesma nela é transmitida. Força!